Planejamentos Estratégico, Tático e Operacional – Parte 1/7

Você com certeza já ouviu falar sobre Planejamentos Estratégico, Tático e Operacional, mas você sabe o que cada um significa? Qual  a diferença entre eles? Aliás, existe diferença entre eles? Vou postar uma série especial falando sobre este assunto. Acompanhe.

Existem milhares de definição de Planejamento Estratégico, mas eu gosto bastante desta:

 “Planejamento estratégico é o processo continuo, Continue lendo

As 5 forças de Porter

Hoje vou falar sobre uma das melhores ferramentas já descritas para análise do microambiente e estratégia competitiva entre empresas.

Ela serve para você analisar o mercado onde sua empresa está inserida, analisando seus concorrente, fornecedores e clientes.

Esta ferramenta foi descrita por Michael Porter em 1979 de maneira muito simples. O Gráfico abaixo resume a ferramenta que pode ser utilizada por empresas de todos os tamanhos e inseridas em quaisquer mercados. Continue lendo

Você sabe analisar e resolver problemas? OFPISA (5/7)

Em administração fala-se muito em planejamento. Eu já falei sobre este assunto aqui no BLOG PEGG algumas vezes, mas será que todo mundo sabe o que é planejamento?

Segundo o dicionário Houaiss:

“substantivo masculino
1    ato ou efeito de planejar
2    serviço de preparação de um trabalho, de uma tarefa, com o estabelecimento de métodos convenientes; planificação
3    determinação de um conjunto de procedimentos, de ações (por uma empresa, um órgão do governo etc.), visando à realização de determinado projeto; planificação”

E como fazer um planejamento?

O método de hoje é o OFPISA e vai auxiliar você nesta tarefa tão importante da gestão. Veja significado da sigla:

  1. O: Escolher OBJETIVO (Nesta fase você deverá responder as perguntas listadas abaixo.) 
    O que viemos fazer aqui hoje?
    •Onde queremos chegar?
    •Como saberemos que teremos alcançado o objetivo?
  2. F: Coletar FATOS(Nesta fase você deverá investigar o assunto/problema respondendo as perguntas abaixo:) 
    O que está ocorrendo?
    •De quais informações dispomos?
    •Todos os envolvidos as conhecem?
    •Quem ou o que poderia nos fornecer mais dados?
    •São suficientes?
    •Quais nossos limites (legais, temporais, normas etc)
    •Quais foram as tentativas anteriores?
  3. P: Diagnosticar PROBLEMA(Esta é a fase do diagnóstico)
    Como o problema poderia ser declarado?
    •O foco é no problema ou na solução?
    •Se nada fosse feito o que ocorreria?
    •QUEM / O QUE é afetado pelo problema?
  4. I: Gerar IDÉIAS(Fase do Brainstorming, nosso velho conhecido e já tratado nesta série de posts) 
    •Uso de ferramentas
    •Alguém mais deveria auxiliar?
    •Brainstorming
  5. S: Construir SOLUÇÕES  (Aqui você irá contruir a planilha de avaliação do Brainstorming já comentada aqui nesta série de posts) 
    •Construa a Matriz de Avaliação de Brainstorming
  6. A: Planejar ACEITAÇÃO (Nesta última fase você irá tornar viável ou implementar o seu planejamento). 
    •De que forma posso implementar?
    •Quais as necessidades decorrentes (financeiro/ material/ pessoas/ prazos/ patrocinadores ou parceiros?
    •Quais as consequencias da proposta no curto, médio e longo prazo?

Espero ter ajudado você!

Cristina Brasão

 

O que viemos fazer aqui hoje?
Onde queremos chegar?
Como saberemos que teremos alcançado o objetivo?

Você sabe analisar e resolver problemas? Brainstorming (2/7)

Hoje vou falar sobre o método BRAINSTORMING

O nome da técnica vem do inglês Brain = mente e Storming = tempestade, ou seja, Tempestade Cerebral ou Tempestade de Idéias.

O Brainstorming é uma ferramenta associada à criatividade e é usada na fase de Planejamento (na busca de soluções). Este método foi inventado por Alex F. Osbom em 1939.
A ferramenta é utilizada para que um grupo de pessoas crie o maior número de idéias acerca de um tema previamente selecionado.
Existem dois tipos de Brainstorming:

Estruturado: todos os integrantes devem dar uma idéia quando chegar a sua vez na rodada, ou passar a vez até a próxima rodada.

  • Evitando a preponderância dos integrantes mais falantes.
  • Dá a todos uma oportunidade igual para contribuir com idéias.
  • Promove envolvimento maior de todos os integrantes.
  • O Brainstorming termina quando nenhum dos integrantes tem mais idéias e todos “passam a vez” numa mesma rodada.

Não-estruturado: Qualquer integrante lança idéias à medida que vão surgindo na mente.

  • Tende-se a criar uma atmosfera mais relaxada, mas também há o risco dos integrantes mais falantes dominarem o ambiente.
  • Torna-se mais fácil para certos integrantes pegar carona nas idéias dos outros.
  • O Brainstorming termina quando nenhum integrante tem mais idéias e todos concordam em parar.

É possível estruturar o processo de Brainstorming em fases, que são:

  1. Construir a equipe: Geralmente participam os membros do setor que busca resolver o problema, mas também pode ser uma equipe multifuncional.
  2. Definir foco e enfoque: Tema principal geralmente está associado a um problema ou desafio que se quer vencer.
  3. Geração de idéias: O que importa é a quantidade de idéias geradas. Não importa a “qualidade”.
  4. Crítica: Nesta etapa o que se objetiva é a qualidade. É feita uma primeira análise e se a idéia está voltada para o foco do problema, ela continua, caso contrário ela é riscada (eliminada).
  5. Agrupamento: Uma vez selecionadas as idéias em consonância com o foco, estas são agrupadas por “parentesco” ou semelhança de conteúdo, de forma a gerar subtítulos ou múltiplas respostas.
  6. Conclusão: feita uma análise dos tópicos, subtítulos ou respostas, deve-se selecionar aquelas que, combinadas ou isoladamente, respondem à questão exposta no foco.

Para ajudar na seleção da idéia ou idéias que serão utilizada você pode fazer uma matriz como esta da figura abaixo:

Neste caso as melhores idéias possuem menor pontuação. Feita a análise da matriz, fica mais fácil escolher!

Os critérios de avaliação são definidos pela própria equipe ou pela direção da empresa e podem ser: custo de implementação, tempo de implementação, entre outros.

Pratique o Brainstorming com sua equipe. Ótimas idéias surgirão!

Continue acompanhando a série de posts.

Cristina Brasão

Plano de Negócios fácil

Pessoal,

Estive fora do ar por um tempo, mas estou voltando… e com boas novas!

Postei um texto há algum tempo sobre Plano de Negócios e um livro do SEBRAE para ajudá-los nesta empreitada, pois bem, hoje venho com uma novidade: este livro virou um software com download gratuito. Entre neste link para começar seu plano de negócios.

Aproveitem! é uma ótima ferramenta!

Cristina Brasão

Plano de Negócios 4 – Plano Operacional

Hoje vou falar sobre o Plano Operacional da empresa, ou como ela irá funcionar. como é de costume, vou dividir em algumas partes para facilitar o entendimento.

Layout

Layout é a mesma coisa que arranjo físico do espaço. É nesta parte que você planeja como irá organizar as mobílias, máquinas, salas etc. O layout deve ser agradável e bonito, mas deve levar em conta a facilidade para o fluxo da informação, de pessoas e de produtos. Além disso voce deverá ficar atento porque o layout pode ajuda-lo na diminuição de desperdícios e retrabalho, no aumento da produtividade, na redução de acidentes e na melhora da comunicação entre pessoas e departamentos.

Capacidade produtiva/comercial/serviços

Aqui você irá dimensionar a capacidade produtiva da empresa, ou seja, quantas peças de determinado produto consigo fazer por mês ou quantos clientes consigo atender por dia ou quantos projetos simultaneos tenho capacidade de gerenciar, enfim, você irá definir sua capacidade máxima de produção. Lembre-se que não adianta falar para a linha de produção da empresa que ela deve produzir R$ 1.000,00 ao mês, você deve dizer quantas peças deverão ser produzidas, afinal sua empresa não fabrica dinheiro, certo?

Processos Operacionais

Nesta parte do seu Plano de Negócios voce deve definir como será o funcionamento da sua empresa. Descrever detalhadamente as atribuições de cada departamento e como deverá ser feita cada atividade. É interessante que para isso você utilize uma ferramenta chamada fluxograma.

Necessidade de Pessoal

Finalmente chegou a hora de definir quem faz o que. Mesmo que sua empresa seja familiar é importante definir as atribuições de cada membro da equipe, senão você correrá o risco de duas pessoas fazerem a mesma atividade e outra atividade ficar sem fazer. Faça uma lista ou uma tabela com as seguintes informações: cargo, quantidade de pessoas necessárias, nome (ou coloque a contratar), atribuições (por quais tarefas ficará responsável) e requisitos mínimos para atender ao cargo (escolaridade, cursos ou conhecimentos específicos).

Até o próximo post: Plano Financeiro, que é importantíssimo!!!!!

Cristina Brasão

Plano de Negócios 3 – Plano de Marketing

Boa tarde,

Hoje vamos falar sobre Plano de Marketing: aqui você definirá exatamente produtos e serviços oferecidos, localização da sua empresa, estratégias de comunicação etc.

Descrição dos principais produtos e serviços

Faça uma lista ou tabela com todos os produtos a serem produzidos/vendidos ou serviços a serem prestados. Se preferir pode tirar fotos para ajudar na documentação. Caso sua empresa vá trabalhar com muitos produtos/serviços, descreva com o máximo de informações possível cada um deles.

Preço

O preço é um dos atributos mais importantes do seu produto/serviço. Antes de produzir/vender determinado produto/serviço, você deverá pesquisar quanto o consumidor está disposto a pagar por ele, isso pode ser feito perguntando diretamente para o consumidor ou pesquisando os seus concorrentes diretos.

Também deverá considerar todos os custos do produto/serviço, pois pode ser que seu concorrente direto pratique um preço muito baixo porque os custos são bem mais baixos que o seu. Então, calcule tudo!!! Vamos falar com mais detalhes sobre este assunto no Plano Financeiro. Continue acompanhando.

Vou postar um texto sobre formação do preço de venda. Acompanhe!

Estratégias Promocionais

São as estratégias que sua empresa utilizará para “falar” com o consumidor.  Veja algumas delas a seguir:

  • propaganda em rádio, TV, jornais, revista: pode ser propaganda institucional e ação de venda (aquela que oferece alguma vantagem para o cliente: este tipo de ação só deve ser feito se sua empresa tiver realmente algo a oferecer).
  • internet: pode ser site próprio, redes sociais, anúncios em outros sites.
  • distribuição de amostras grátis ou brindes.
  • mala direta (tem pouquíssimo retorno: menos de 5%), folhetos e cartões de visita.
  • catálogos impressos ou digitais.
  • carro de som, faixas, outdoors, empenas, painéis, mídia urbana etc.
  • sorteios (concursos culturais, onde a compra do produto não é obrigatória ou sorteio mediante embalagem, código de barras etc.).
  • descontos.
  • feiras e eventos.

Estrutura de comercialização

Aqui, estamos falando sobre canais de distribuição: atacado, varejo: canal especializado, distribuição em massa, canal segmentado?

Também falamos sobre a equipe de vendas: será equipe própria ou terceirizada? vendedores internos ou externos? Teremos algum serviço de venda diferenciado?

Quais ferramentas serão utilizadas para fazer a venda? venda direta em loja? porta a porta? representante? só venda on-line? venda por telefone? todas juntas?

Localização do Negócio

Caso sua empresa vá ter uma loja física, escolha o local com muito cuidado. Leve em conta o perfil do seu cliente, avalie se sua futura vizinhança agradará seus clientes, avalie estacionamento, facilidade de acesso, proximidade com concorrentes diretos, e claro, não esqueça de analisar o contrato de locação, condições de ´pagamento…

Bom, nos vemos no próximo post da série sobre Plano Operacional.

Cristina Brasão