Planejamentos Estratégico, Tático e Operacional – Parte 5/7

Hoje vou falar sobre os desdobramentos do Planejamento Tático de Marketing nos Plano de Vendas e Plano de Marketing.

Plano de Vendas

O Plano de Vendas é à base de um plano de operações, pois é a partir de um correto dimensionamento de volume ou nível de atividades que possa ser esperado para o período específico de atividades que o orçamento poderá ser montado. Assim faz-se imprescindível que o plano de vendas seja realista, pois todos os demais elementos de um plano de resultados poderão incorrer em erro se isso não ocorrer. Continue lendo

Planejamentos Estratégico, Tático e Operacional – Parte 4/7

Hoje vou falar sobre o Plano Tático Financeiro que se desdobra em: Fluxo de Caixa, Plano de Investimentos e Plano de Aplicações.

Fonte Imagem: Aqui

É necessário que o leitor não confunda Plano Financeiro com Administração Financeira. Para que se faça uma boa gestão financeira da empresa é necessário que o gestor tenha tempre em mão os relatórios contábeis tradicionais como Balanço Patrimonial, Demonstração de Resultado do Exercício – DRE e Demonstração de Origem e Aplicação dos Recursos – DOAR, porém estes relatórios não são sufucientes para que o gestor tenha conhecimento imediato da verdadeira liquidez da sua empresa. Não basta a empresa apresentar lucro contábil, é preciso que a equação (Ativo Circulante X Passivo Circulante) esteja compatível com sua necessidade de capital de giro. Isto faz com que o gestor se utilize de todos os instrumentos disponíveis que, juntamente com os demais demonstrativos contábeis, ajudem-no a interpretar a realidade financeira da empresa.

Desfeita a confusão, vamos detalhar a partir deste ponto o Plano Tático Financeiro. Continue lendo

Será que sua marca atrai os consumidores?

Este post foi publicado pelo Mundo Marketing e como achei interessante resolvi reblogar aqui no Blog PEGG.

A comunicação do varejo não é atrativa e não motiva a compra nas categorias de têxtil, hipermercado e eletrodoméstico. A falta de um planejamento adequado que faça o consumidor entender uma marca e, a partir daí, se identificar com a linguagem usada por ela é falha no Brasil. A conclusão faz parte da pesquisa “O que funciona e o que não funciona na comunicação de varejo”, da Officina Sophia, apresentada na Brazilian Retail Week em 2012.

Boa parte dos grupos dialoga com seu público-alvo de duas formas: primeiro na construção e exposição da imagem da marca e, em seguida, na mobilização da compra por meio de ofertas e ações promocionais. O problema é que a linguagem utilizada pelas empresas concorrentes para se destacarem é praticamente a mesma e a diferenciação pouco se nota. Continue lendo

Planejamentos Estratégico, Tático e Operacional – Parte 3/7

Conforme vimos nos posts anteriores da série, o Planejamento estratégico se desdobra em Planejamento Táticos, podem ser descritos em 4 grandes planos: Financeiro, de Marketing, de Gestão de Pessoas e de Produção. Veja mais detalhes a seguir. Continue lendo

Planejamentos Estratégico, Tático e Operacional – Parte 2/7

Agora que você já sabe a diferença entre Planejamentos Estratégicos, Tático e Operacional (Saiba mais aqui), vai saber quem é responsável por cada um deles.

O Planejamento Estratégico está relacionado com os objetivos de médio e longo prazos, que afetam a direção ou viabilidade da empresa. O Planejamento Tático está relacionado com os objetivos de médio prazo e cobrem as diversas unidades da organização. O Planejamento Operacional está relacionado com os objetivos de curto prazo voltados à execução de operações rotineiras na organização. Continue lendo

Planejamentos Estratégico, Tático e Operacional – Parte 1/7

Você com certeza já ouviu falar sobre Planejamentos Estratégico, Tático e Operacional, mas você sabe o que cada um significa? Qual  a diferença entre eles? Aliás, existe diferença entre eles? Vou postar uma série especial falando sobre este assunto. Acompanhe.

Existem milhares de definição de Planejamento Estratégico, mas eu gosto bastante desta:

 “Planejamento estratégico é o processo continuo, Continue lendo

Consumidor escolhe Natura como marca que mais contribui para o mundo

Este texto foi publicado originalmente por Mundo Marketing.

 

A Natura, a Ypê e a Petrobras lideram o ranking das marcas que mais contribuem para um mundo melhor, segundo o estudo “Quem me inspira”, produzido pela Giacometti. As empresas ocupam o topo da listagem de respostas espontâneas dos consumidores para a pergunta “Quais as empresas que mais contribuem para um mundo melhor?”, com índices de 25%, 15% e 14%, respectivamente. A pesquisa foi realizada em duas etapas com 400 cidadãos de São Paulo, das classes AB e C, entre 18 e 40 anos. Continue lendo