Estruturas Organizacionais Atuais

Hoje vou falar sobre a Estrutura Radial, que é um tipo de estrutura menos usual, porém não menos importante. Neste modelo de estrutura, a empresa leva em consideração as áreas funcionais da empresa para então definir a demostração gráfica da mesma. Para entender melhor o assunto é importante definir:

  • Áreas Funcionais Fins: são as áreas que englobam funções e atividades envolvidas diretamente no ciclo de transformação de recursos em produtos e serviços. EX: Produção e Marketing.
  • Áreas Funcionais Meios: são as áreas que englobam funções e atividades que proporcionam os meios para que haja transformação de recursos em produtos e serviços. EX: Financeiro, Materiais, Recursos Humanos, Serviços e Gestão Empresarial Continue lendo

Estruturas Organizacionais Contemporâneas

Então, vamos ao nosso assunto de hoje: Estruturas Organizacionais Contemporâneas!

ESTRUTURA COM BASE EM PROJETOS


Fonte Imagem: Blog PEGG (Adaptado de CURY, Antonio, 2009, p.254)

Continue lendo

Estruturas Organizacionais Modernas

Vamos continuar nosso papo sobre estruturas organizacionais? Hoje vou falar sobre as estruturas modernas.

ESTRUTURA COM BASE NA FUNÇÃO

Fonte Imagem: Blog PEGG (Adaptado de CURY, Antonio, 2009, p.239)

… podemos conceituar a estrutura com base em função como aquela que as atividades análogas, interdependentes, que se encadeiam num propósito dominante da empresa, são agrupada num órgão especifico constituindo a grande unidade setorial da instituição. (CURY A., 2009, P.237) Continue lendo

Estruturas Organizacionais Tradicionais

O assunto de hoje vai falar sobre os diferentes tipos de organizacionais classificadas como Tradicionais epla sua Estrutura Organizacional.

ESTRUTURA LINEAR OU MILITAR

Fonte Imagem: Blog PEGG (Adaptado de CURY, Antonio, 2009, p.227)

Baseada na organização dos antigos exércitos, é representada graficamente por uma pirâmide demonstrando explicitamente a unidade de comando.  As principais característicassão: Continue lendo

Estrutura Organizacional

Fonte Imagem

O assunto de hoje é bem teórico, mas vai ajudar você a entender melhor a estrutura organizacional da sua empresa e se necessário fazer alguns ajustes para que o funcionamento dela melhore.

Segundo Oliveira, a estrutura organizacional é um ordenado de responsabilidades, autoridades, comunicações e decisões das unidades organizacionais de uma empresa. Esta estrutura organizacional é bastante dinâmica, principalmente quando considerados os seus aspectos informais provenientes da caracterização das pessoas que fazem parte de seu esquema. Continue lendo

Eficiência X Eficácia X Efetividade

Eficiência, Eficácia e Efetividade sempre dão um nó na cabeça dos administradores, então resolvi definir de maneira bem fácil os 3 conceitos:

Dizemos que uma pessoa e/ou empresa é EFICIENTE quando ela utiliza produtivamente ou de maneira econômica seus recursos e consegue atingir seus objetivos e metas. Quanto mais alto o grau de produtividade ou economia na utilização dos recursos, mais eficiente ela é.

Eficiência é alcançada quando o executivo manipula, de forma adequada, os insumos de que necessita para atingir seus produtos. (CURY, A. em Organização & Métodos – uma visão holística, p. 21) 

EFICÁCIA  é quando uma pessoa e/ou empresa atinge seus objetivos. Quanto mais alto o grau de realização dos objetivos mais eficiente ela é. Neste caso, não consideramos os recursos utilizados para atingir o objetivo, só consideramos se atingiu ou não o objetivo.

Eficácia é atingida quando, o gerente atinge seus produtos, de maneira apropriada, como programado. (CURY, A. em Organização & Métodos – uma visão holística, p. 21) 

EFETIVIDADE é quando associamos Eficiência e Eficáía na mesma pessoa e/ou empresa.

Continue acompanhando o Blog PEGG.

Cristina Brasão

Processos: Tipos e Gestão

Em administração fala-se muito sobre PROCESSO. Mas o que é isso e para que serve?

Processo é um conjunto de atividades estruturadas e destinadas a resultar em um produto especificado para um determinado cliente. É a ordenação específica das atividades de trabalho no tempo e no espaço, com um começo, um fim, e entradas e saídas claramente identificadas. O processo é entendido como uma série de atividades que fornecem valor a um cliente (CHAVENATO, I., 2008, p.16)

Podemos dizer que todas as atividade podem ser classificadas como processos, o que muda é o tipo, a complexidade e o tratamento dado para cada um deles.

Existem muitos tipos de processos e para facilitar o entendimento de cada um deles, vou dar exemplos que ocorrem no seu dia-a-dia. Slack N., Chambers S. e Johnston R. descrevem os seguintes tipos de Processos:

a)      Processo de Projeto: é aquele processo bastante customizado, com alta variedade e baixo volume de produção. O período de tempo para conclusão deste tipo de processo é relativamente longo. As atividades envolvidas no processo são incertas e podem ser adequadas durante o processo. Têm início e fim bem definidos, os recursos são específicos para cada processo, cada output é muito grande e ocorrência de muitas atividades simultâneas. Podemos dar exemplo de uma empresa que quer abrir uma filial em outra cidade/estado/país e determina uma pessoa ou um grupo de pessoas para implementar esta filial.

b)      Processo de jobbing: é muito parecido com o processo de projeto, mas aqui os recursos deixam de ser únicos e passam a ser compartilhados em vários processos. As atividades desenvolvidas continuam tendo alto grau de complexidade, mas o produto final a ser entregue é menor que no processo por projeto. Podemos dar exemplo de  uma equipe responsável pela expansão de uma empresa (abertura de filiais em vários locais). Nesta equipe tem uma pessoa responsável pela escolha da cidade/estado/país, uma responsável por encontrar o imóvel, uma responsável por recrutamento e seleção da equipe etc. São partes menores de um processo maior e cada pessoa trabalha simultaneamente em vários processos.

c)      Processo em lote ou batelada: Aqui neste tipo de processo a variedade cai drasticamente e o volume aumenta. Podemos citar um administrador que separa uma parte do seu dia apenas para despachar e assinar documentos.

d)      Processos de Produção em massa: variedade muito baixa e alto volume de produção. Podemos dar exemplo daquele estagiário ou técnico que cuida única e exclusivamente de uma máquina na linha de produção de determinado produto.

e)      Processos contínuos: são aqueles com menos variedade que os processos de produção em massa, alto volume e que são contínuos ou permanecem por períodos bastante ongos. Podemos citar um gestor que faz acompanhamento e orientação dos estagiários da área.

Na prática, os processos servem para uniformizar e padronizar a forma como determinada atividade é executada. Esta uniformidade, garante produtividade, controle de qualidade, previne contra erros durante a execução, facilita treinamento de funcionários, reduz custos etc.

Espero que este post tenha auxiliado vocês!

Leia também o post sobre melhoria contínua de processos através da ferramenta Ciclo PDCA.

Cristina Brasão