As 5 forças de Porter

Hoje vou falar sobre uma das melhores ferramentas já descritas para análise do microambiente e estratégia competitiva entre empresas.

Ela serve para você analisar o mercado onde sua empresa está inserida, analisando seus concorrente, fornecedores e clientes.

Esta ferramenta foi descrita por Michael Porter em 1979 de maneira muito simples. O Gráfico abaixo resume a ferramenta que pode ser utilizada por empresas de todos os tamanhos e inseridas em quaisquer mercados. Continue lendo

Anúncios

Você sabe analisar e resolver problemas? Análise GUT (6/7)

Hoje vou falar sobre a análise GUT: Gravidade, Urgência, Tendência.

Esta ferramenta de hoje vai ajudar você a analisar o “problema” sob os pontos de vista da gravidade, da urgência e da tendência. Também podemos chamar estes pontos de vista de pilares.

  • GRAVIDADE: intensidade ou profundidade dos danos que o problema pode causar se não houver atuação sobre ele.
  • URGÊNCIA: tempo para eclosão de danos ou resultados indesejáveis que o problema pode causar se não houver atuação sobre ele.
  • TENDÊNCIA: desenvolvimento que o problema terá na ausência da ação sobre ele.

Para cada um deste pilares teremos uma escala pré-definida para auxiliar na análise. As escalar utilizadas para cada um dos pilares estão representadas na figura abaixo.

Note que no pilar Gravidade, quanto mais grave for o problema maior será sua classificação no Score.

No pilar Urgência, quanto menos prazo você tem para resolver o problema, maior o Score.

E no pilar Tendência, quanto pior for o cenário futuro deste problema maior o Score.

Para auxiliar a análise sugiro que faça uma planilha parecida com a figura a seguir:

 

Na primeira coluna você deverá listar todos os “problemas” existentes na sua empresa. A seguir colocará uma coluna para cada pilar. Veja que cada problema receberá pontuação 3 vezes, uma para cada pilar ou ponto de vista. Na última coluna você fará a multiplicação dos 3 pilares e obterá um resultado X. Você deverá atacar os problemas com maior resultado desta multiplicação ou poderá ser um critério de escolha ou estabelecimento de prioridades. 

Esta ferramenta pode ser aplicada por qualquer pessoa em qualquer cargo e em qualquer empresa ou até mesmo na sua vida pessoal.

Espero ter ajudado com mais esta ferramenta.

Cristina Brasão

Você sabe analisar e resolver problemas? OFPISA (5/7)

Em administração fala-se muito em planejamento. Eu já falei sobre este assunto aqui no BLOG PEGG algumas vezes, mas será que todo mundo sabe o que é planejamento?

Segundo o dicionário Houaiss:

“substantivo masculino
1    ato ou efeito de planejar
2    serviço de preparação de um trabalho, de uma tarefa, com o estabelecimento de métodos convenientes; planificação
3    determinação de um conjunto de procedimentos, de ações (por uma empresa, um órgão do governo etc.), visando à realização de determinado projeto; planificação”

E como fazer um planejamento?

O método de hoje é o OFPISA e vai auxiliar você nesta tarefa tão importante da gestão. Veja significado da sigla:

  1. O: Escolher OBJETIVO (Nesta fase você deverá responder as perguntas listadas abaixo.) 
    O que viemos fazer aqui hoje?
    •Onde queremos chegar?
    •Como saberemos que teremos alcançado o objetivo?
  2. F: Coletar FATOS(Nesta fase você deverá investigar o assunto/problema respondendo as perguntas abaixo:) 
    O que está ocorrendo?
    •De quais informações dispomos?
    •Todos os envolvidos as conhecem?
    •Quem ou o que poderia nos fornecer mais dados?
    •São suficientes?
    •Quais nossos limites (legais, temporais, normas etc)
    •Quais foram as tentativas anteriores?
  3. P: Diagnosticar PROBLEMA(Esta é a fase do diagnóstico)
    Como o problema poderia ser declarado?
    •O foco é no problema ou na solução?
    •Se nada fosse feito o que ocorreria?
    •QUEM / O QUE é afetado pelo problema?
  4. I: Gerar IDÉIAS(Fase do Brainstorming, nosso velho conhecido e já tratado nesta série de posts) 
    •Uso de ferramentas
    •Alguém mais deveria auxiliar?
    •Brainstorming
  5. S: Construir SOLUÇÕES  (Aqui você irá contruir a planilha de avaliação do Brainstorming já comentada aqui nesta série de posts) 
    •Construa a Matriz de Avaliação de Brainstorming
  6. A: Planejar ACEITAÇÃO (Nesta última fase você irá tornar viável ou implementar o seu planejamento). 
    •De que forma posso implementar?
    •Quais as necessidades decorrentes (financeiro/ material/ pessoas/ prazos/ patrocinadores ou parceiros?
    •Quais as consequencias da proposta no curto, médio e longo prazo?

Espero ter ajudado você!

Cristina Brasão

 

O que viemos fazer aqui hoje?
Onde queremos chegar?
Como saberemos que teremos alcançado o objetivo?

Você sabe analisar e resolver problemas? Brainstorming (2/7)

Hoje vou falar sobre o método BRAINSTORMING

O nome da técnica vem do inglês Brain = mente e Storming = tempestade, ou seja, Tempestade Cerebral ou Tempestade de Idéias.

O Brainstorming é uma ferramenta associada à criatividade e é usada na fase de Planejamento (na busca de soluções). Este método foi inventado por Alex F. Osbom em 1939.
A ferramenta é utilizada para que um grupo de pessoas crie o maior número de idéias acerca de um tema previamente selecionado.
Existem dois tipos de Brainstorming:

Estruturado: todos os integrantes devem dar uma idéia quando chegar a sua vez na rodada, ou passar a vez até a próxima rodada.

  • Evitando a preponderância dos integrantes mais falantes.
  • Dá a todos uma oportunidade igual para contribuir com idéias.
  • Promove envolvimento maior de todos os integrantes.
  • O Brainstorming termina quando nenhum dos integrantes tem mais idéias e todos “passam a vez” numa mesma rodada.

Não-estruturado: Qualquer integrante lança idéias à medida que vão surgindo na mente.

  • Tende-se a criar uma atmosfera mais relaxada, mas também há o risco dos integrantes mais falantes dominarem o ambiente.
  • Torna-se mais fácil para certos integrantes pegar carona nas idéias dos outros.
  • O Brainstorming termina quando nenhum integrante tem mais idéias e todos concordam em parar.

É possível estruturar o processo de Brainstorming em fases, que são:

  1. Construir a equipe: Geralmente participam os membros do setor que busca resolver o problema, mas também pode ser uma equipe multifuncional.
  2. Definir foco e enfoque: Tema principal geralmente está associado a um problema ou desafio que se quer vencer.
  3. Geração de idéias: O que importa é a quantidade de idéias geradas. Não importa a “qualidade”.
  4. Crítica: Nesta etapa o que se objetiva é a qualidade. É feita uma primeira análise e se a idéia está voltada para o foco do problema, ela continua, caso contrário ela é riscada (eliminada).
  5. Agrupamento: Uma vez selecionadas as idéias em consonância com o foco, estas são agrupadas por “parentesco” ou semelhança de conteúdo, de forma a gerar subtítulos ou múltiplas respostas.
  6. Conclusão: feita uma análise dos tópicos, subtítulos ou respostas, deve-se selecionar aquelas que, combinadas ou isoladamente, respondem à questão exposta no foco.

Para ajudar na seleção da idéia ou idéias que serão utilizada você pode fazer uma matriz como esta da figura abaixo:

Neste caso as melhores idéias possuem menor pontuação. Feita a análise da matriz, fica mais fácil escolher!

Os critérios de avaliação são definidos pela própria equipe ou pela direção da empresa e podem ser: custo de implementação, tempo de implementação, entre outros.

Pratique o Brainstorming com sua equipe. Ótimas idéias surgirão!

Continue acompanhando a série de posts.

Cristina Brasão