Administração do tempo – Parte 7 (Socialização na medida)

Muitos estudos sobre Socialização nas empresas já foram feitos e é sabido que o amplo contato entre as pessoas aumenta a satisfação entre os colaboradores, aumenta a auto-estima e o moral, além de elevar significativamente a produtividade, mas este excesso de socialização também pode ser o grande vilão na administração do seu tempo.

Durante o seu dia, é importante reservar um tempinho para um café, um papinho de corredor ou aquelas reuniões informais que ocorrem na copa. Ali, além de você recarregar as baterias, poderá obter informações importantes para o seu trabalho, além de fortalecer laços de amizade com outras pessoas e possibilidade de ampliar sua network. Mas fique atento, deve haver um equilíbrio. Se houver excessos destas pequenas paradas durante o seu dia, sua produtividade estará comprometida.

Algumas pssoas não tem este limite e você precisa saber algumas dicas para se livrar delas sem parecer incoveniente:

Por telefone, é sempre mais fácil.

  • Se você precisa muito falar com uma dessas pessoas que “falam mais que o homem da cobra”, ligue pra elas antes do almoço por exemplo, ou perto do fim do expediente.
  • Finja que foi interrompido por algo urgente e finalize a ligação.

Já pssoalmente você precisará de um pouco mais de jogo de cintura.

  • O falador entrou na sua sala, receba-o próximo à porta e permaneça ali de pé enquanto fala com ele, isso fará com que ele não se sinta à vontade para permanecer aí por muito tempo.
  • Convide a pessoa para acompanhá-lo por exemplo até a impressora ou até o bebedouro. Converse rapidamente com ela e agradeça o papo e siga novamente pra sua sala.
  • Outra maneira é dizer que tem um compromisso e que ele volte em outro horário.
  • Colocar cartazes na porta dizendo que está ocupado, ir trabalhar numa sala de reuniões ou trancar sua porta também são algumas alternativas para não ser interrompido.

Claro que você deverá fazer tudo isso com educação e gentileza. Não pareça rude com as pessoas. Isso poderá te prejudicar. Seja sempre simpático!

Finalmente terminamos mais uma série de posts. Espero que algumas destas dicas possam te ajudar na administração do seu tempo.

Lembre-se que não existe uma receita válida para todo mundo. Você deverá testar o que funciona para você e ir adaptando as dicas às suas necessidades.

Continue acompanhando o Blog PEGG.

Cristina Brasão

Anúncios

Administração do tempo – Parte 6 (Saiba dizer não e Planejamento)

Uma boa maneira de poupar o seu tempo é saber dizer não. É uma palavra bastante simples, mas muito difícil de dizer.

Sempre que te pedirem algum trabalho fora da sua rotina, avalie se ele realmente precisa ser feito, ou se aquele prazo é possível de ser cumprido ou se precisa ser feito exatamente daquele jeito. Será que já não existe algo pronto que pode fornecer as informações necessárias? É muito comum pessoas, departamentos, empresas retrabalharem a mesma informação várias vezes, então fique atento!

Sempre que disser um não, fundamente para a pessoa, assim você não ficará com fama de antipático!

Uma grande fonte de desperdício de tempo são as reuniões. Então participe somente daquelas que você precisa estar envolvido. E quando você for convocar uma reunião, fique atento:

  • Convoque apenas pessoas realmente necessárias na tomada de decisão.
  • Estabeleça horário de início e fim e lembre-se que reuniões curtas normalemente são mais produtivas.
  • Planeje a pauta antecipadamente e envie para os participante, assim eles poderão se preparar com antecedência e as discussões serão mais efetivas durante a reunião.
  • Sempre que a reunião começar a dispersar, puxe a pauta e retome o assunto.
  • Anote todas as decisões e envie uma ata da reunião o mais breve possível contendo as resoluções, pendências a atribuições de atividades para os envolvidos.

Planejamento é fundamental para a otimização do tempo. Se você depende de outras pessoas e/ou departamento para cumprimento de determinada tarefa, inclua um prazo de 1 ou 2 dias para possíveis atrasos. Previna-se sobre problemas, fique sempre atento. Mantenha sempre uma cópia de documentos importantes para o caso de extravios. Previnir é sempre melhor que remediar!

Continue acompanhando a série de posts!

Cristina Brasão

Administração do tempo – Parte 5 (Agrupamento de tarefas e delegação)

Outra dica para auxiliá-lo na otimização do seu tempo é o agrupamento de tarefas de acordo com o tipo ou similaridade. Estabeleça horários para atendimento ao público e/ou estagiários/funcionários/colegas de trabalho; preencha todos os relatórios de uma vez; estabeleça intervalos durante o dia para ler e responder e-mail, pois se você fizer isto durante todo o dia irá desperdiçar muito tempo, enfim, agrupe a tarefas.

Além de agrupar as tarefas por tipo, você deverá levar em consideração o seu ritmo biológico. É isso mesmo! Algumas pessoas trabalham melhor de manhã, outras à tarde e outras à noite. Coloque aquelas tarefas mais complexas ou que exigem maior concentração no período do dia mais produtivo para você!

Não esqueça nunca de deixar espaços livres na sua agenda para atender os imprevistos ou pedidos de última hora. Eles ocorrem diariamente!

Delegar tarefas também pode ser fundamental para que você consiga atender toda a sua demanda de trabalho, mas cuidado, delegar não é passar o seu trabalho para outra pessoa fazer. Alguns cuidados devem ser respeitados:

  • Selecione a tarefa a ser delegada e faça um fluxograma dela para auxiliar quem irá cumprí-la.
  • Escolha a pessoa mais adequada na equipe para executar a tarefa.
  • Explique passo-a-passo o que deve ser feito, mas deixe espaço para que a pessoa que i´ra fazer a tarefa para você possa usar a criatividade e dê sugestões de melhoria.
  • Explique porque o cumprimento desta tarefa é importante.
  • Prazos e regras devem ser conhecidos.
  • Esteja aberto para tirar todas as dúvidas a respeito da tarefa.
  • Acompanhe a execução da tarefa de perto em todo o seu percurso e não só na entrega.
  • Avalie os resultados e elogie ou corrija sempre que necessário.

Atenção! Não delegue em excesso! E o mais importante, quando você delega uma tarefa, a autoridade continua sendo sua, enquanto a responsabilidade é compartilhada.  Vamos tratar deste assunto em outro post.

Continuem acompanhando a série!

Cristina Brasão

Até a Rede Globo erra em suas estratégias de Marketing…

No último dia 10 de maio o Programa Mais Você da Ana Maria Braga apresentou uma matéria de utilidade pública falando sobre o excesso de bactérias presente nos carrinhos de supermercado. Segundo a mesma matéria, ele é o campeão de audiência em sujeira, superando as notas de dinheiro e aquela barra de ferro onde as pessoas se seguram em ônibus coletivos.

Veja matéria completa neste link.

A matéria é ótima e esclarecedora. O problema começou quando a equipe de reportagem do programa gravou a matéria no Carrefour, um dos principais anunciantes do programa. Esta matéria foi originalmente apresentada pelo site Mundo do Marketing.

Eu trouxe este assunto aqui para o BLOG PEGG para mostrar que se a equipe não estiver muito alinhada, erros grosseiros podem acontecer. Se até a Rede Globo comete um erro como esse, imagina os pobres mortais, não é mesmo?

Veja abaixo uma lista de erros qua você não pode cometer divulagadas neste link:

  1. Não usar os produtos da sua empresa. Você acha que um fabricante de arroz consome outra marca que não seja a sua em público?
  2. Não vender os produtos da sua empresa. Independente do tamanho da sua empresa e do seu patrimônio financeiro, se você tem uma empresa, você deve vender seu produto o tempo todo.
  3. Não falar da sua oportunidade para as pessoas. Fale para todos que você tem um produto maravilhoso e uma empresa maravilhosa.
  4. Não comparecer aos eventos de sua empresa. Este não precisa nem de comentário.
  5. Não respeitar seu patrocinador. Foi o erro do Mais Você.
  6. Querer fazer seu patrocinador trabalhar para você. Seu patrocinador deve trabalhar com você e não por você.
  7. Não aprender a parte prática do negócio. Enquanto você não souber fazer isso sozinho, o negócio não é seu. É de quem está fazendo por você.
  8. Não saber mostrar o plano da sua empresa. Lembre-se, o pior plano é  aquele que não é mostrado.
  9. Não ensinar aos seus patrocinados o que você aprendeu.
  10. Achar que não tem mais nada a aprender. Se você pensa assim, das duas uma: ou você é um anjo que caiu aqui na terra por engano, ou é um sério candidato a fracassar.

E eu acrescento mais alguns que tenho visto com bastante frequência aqui na cidade:

  1. Colocar propaganda no ar e não avisar a equipe. Ela fica sabendo quando o cliente chega na loja.
  2. Não treinar a equipe de vendas sobre a promoção anunciada.
  3. Despertar o desejo do consumidor e não ter produto suficiente para vender. Saiba que ele não ficará sem comprar! Neste caso você fez propaganda para a concorrência.
  4. Colocar produto na vitrine sem ter estoque.
  5. Propaganda enganosa: nem sempre a empresa age de má fé. Às vezes o proprietário pensa e age de uma maneira e não alinha o discurso com a equipe, ou pior ainda, a equipe resolve sabotar o chefe porque ele não deu aquele aumento de salário, por exemplo. Isso pode acarretar em processos. Então atenção, seus funcionários são seus principais clientes.

Existem mais uma infinidade de situações simples que podem ser evitadas se você estiver atento! O objetivo deste post não é mostrar um check list enorme contendo todos eles, mas alertá-lo para a máxima dos escoteiros de estar “sempre alerta”.

Até o próximo post.

Cristina Brasão

Métricas de Marketing 6 – Porcentagem de Uso Único

É a porcentagem de de clientes de uma marca e que sejam fiéis a ela, ou seja, que só compram produtos desta marca em questão.

Veja como calcular:

Esta métrica serve para que os profissionais de marketing saibam qual é a fidelidade da marca dele.

Até a próxima quarta-feira falando de Índice de Intensidade de Consumo.

Cristina Brasão

Marketing Digital 2

Hoje vou falar mais um pouco sobre marketing Digital.

Pequenas e Médias empresas superam os desafios do e-commerce

Você sabia que as Pequenas e médias pequenas empresas também podem faturar com lojas virtuais? Basta serguir algumas regrinhas e nunca esquecer que a segurança do usuário é fundamental.

Mundo Marketing publicou matéria, mostrando que existem maneiras de sua empresa conquistar a confiança dos consumidores, garantindo a segurança, como reestruturar o mix de produtos a serem oferecidos aos clientes, como trabalhar com links patrocinados. Veja mais no Google Adwords.

Parte deste texto foi publicado originalmente aqui.

E como está a imagem da sua marca na Web?

Entrar nas redes sociais e utilizar-se dos benefícios da web nem sempre é tão fácil. Não basta estar na net, você precisa ter uma estratégia pré-desenvolvida para sua presença digital.

As mídias sociais podem ser um caminho para o relacionamento com os clientes, porém, muitas empresas ainda pensam somente em utilizá-las como um canal publicitário para promover seus produtos. A web facilitou o acesso às informações aumentando a possibilidade de encontrar produtos, preços e empresas com uma velocidade espetacular. Isso faz com que esses novos clientes estejam cada vez mais preparados e exigentes para as compras, visto que grande parte das pessoas pesquisa na web antes de adquirir produtos. Segundo pesquisas, 74% dos clientes veem de forma muito positiva as empresas que já estão se relacionando nesse meio digital.

O controle sobre a reputação de uma marca é super dinâmico e essa reputação será influenciada e definida pelas atitudes de outras pessoas, por meio de um processo de criação de conteúdos, bem como sua disseminação – que ocorre fora da empresa, por gente que não pertence a ela. O que pode ocorrer, se a empresa ignorar a rede, é destruir sua reputação mais rapidamente.

Para que as empresas não corram riscos de atuar, incorretamente, ou de simplesmente não atuar nesse universo, recomenda-se que estabeleçam, inicialmente, a estratégia de sua presença digital. Elejam seus porta-vozes, que serão os responsáveis por implantar essa estratégia na rede, monitorem consistentemente os resultados de suas ações e interajam de forma transparente com seu público-alvo. Somente assim, poderão começar a colher bons frutos esse novo relacionamento com o cliente, viabilizado pelas mídias sociais.

Pequeno empreendedor, fique atento!!!

Parte deste texto foi publicado originalmente aqui.

A internet no Brasil

Como já falei por aqui, a internet mudou completamente a forma como pessoas e empresas se comunicam. Os investimento em publicidade e propaganda na web crescem assustadoramente e o melhor de tudo é que a resposta é imediata. É possível medir de maneira mais fácil, é só acompanhar as comunidades e redes sociais pra ser ter uma boa noção de impacto.

A geração Y, que já nasceu na era digital faz tudo pela internet: lê jornais, assiste programas e seriados de interesse, se relacionam e principalmente compram pela internet. Algumas agências de publicidade defendem que pelo menos 15% do budget das marcas deveriam ser destinados para a mídia online. Nós moramos no país que mais participa de redes sociais no mundo e gasta o maior tempo médio mensal navegando na web. As classes C, D e E têm cada vez mais acesso à internet e hoje já correspom de 51,6% da população virtual. Estes dados devem ser considerados pelas empresas na hora de decidir quanto e como investir em propaganda.

Parte deste texto foi publicado originalmente aqui.

E aí? Vai continuar ignorando esta oportunidade?

Cristina Brasão

Marketing Político – Quem ganha a eleição é o político ou o marketeiro?

Como estamos em época de eleições, vou falar um pouco desta modalidade de marketing, que ganha espaço a cada ano e tornou-se ferramenta imprescindível na briga pelos votos no Brasil e no mundo.

Neste tipo de marketing tudo é planejado: desde cabos eleitorais, foto no santinho a ser distribuído, gravação dos programas de TV, roupa do candidato, entonação de voz, postura em eventos sociais, mote da campanha ou slogan etc.

Segundo Miguel Reale Junior, à medida que o coronelismo e o clientelismo perderam força, o marketing político cresceu e é hoej uma  importante ferramenta de persuasão e conquista dos votos do eleitorado. O grande desafio do marketing político é convencer os indecisos, captar os votos daqueles que deixam pra decidir em quem vão vota na última hora, alguns decidem quando estão em frente à urna eletrônica e convencer outros tantos eleitores a mudadrem de idéia.

A campanha política tem que refletir os anseios e necessidades do eleitor. É a mesma coisa que o marketing faz para vender um produto ou serviço, porém aqui estamos falando de uma pessoa que quer representar o povo nos poderes legislativo ou executivo. A campanha política deve levar em conta os concorrentes, planejar ações para eliminar ou minimizar as fraquezas e potencializar os pontos fortes do candidato/partido político. Além disso, a campanha deve definir quem será seu público-alvo. Assim como em outros produtos, é muito difícil fazer uma campanha única para atingir em massa todas as camadas da população.

O profissional de marketing que decide atuar nesta área tem apenas um objetivo em mente: VENCER. Aqui, não há espaço para segundo colocado, ou você ganha ou está fora! Se o candidato perde a eleição o culpado sempre será aquele profissional que traçou as estratégias de campnha, ninguém se dá conta que talvez o candidato não tivesse bagagem suficiente para ganhar ou não tenha se comportado da maneira como foi definida nas estratégias de campanha. A culpa é sempre do marketeiro!

Muito estudiosos comparam as eleições com uma guerra e para vencê-la, só existe uma maneira: ser o primeiro em estratégia. Então, você marketeiro político deve estudar os grandes generais que já estiveram no front de batalha. Evite confrontos diretos, nunca ataque de frente, fique na trincheira, se você já conseguiu atingir uma boa posição não ataque, apenas defenda-se e espere o momento certo de avançar. Nesta guerra a sua artilharia será a utilização da mídia (impressa, televisiva, internet etc.) e sua infantaria será a equipe de cabos eleitorais. Seja sempre o primeiro, antecipe-se, saia na frente dos seus concorrentes. E o mais importante, reaja rápido, se você perceber que seu candidato não tem chance, mude a estratégia, negocie como os concorrentes, faça alianças e boa sorte nesta batalha.

A maior publicação na área é a revista Campaigns & Election criada em 1980 nos EUA, com versão em espanhol desde janeiro passado, dando voz aos profissionais da América Latina. Na edição de junho, o Brasil foi destaque de capa. Veja matéria clicando aqui.

Além de todos estes conceitos, existem aqueles candidatos que não estão muito interessados em ganhar a eleição, mas sim em virar celebridade e ganhar algum no pós eleição. Para isso produzem vídeos para internet, muitos deles engraçados, quer dizer, trágicos, com o único objetivo de chamar a atenção de qualquer maneira e para isso utilizam-se do buzz.

Para saber mais sobre este assunto acesse o livro: Estratégias Eleitorais: marketing político por Carlo Augusto Manhanelli ou o blog.

Cristina Brasão