As 5 forças de Porter


Hoje vou falar sobre uma das melhores ferramentas já descritas para análise do microambiente e estratégia competitiva entre empresas.

Ela serve para você analisar o mercado onde sua empresa está inserida, analisando seus concorrente, fornecedores e clientes.

Esta ferramenta foi descrita por Michael Porter em 1979 de maneira muito simples. O Gráfico abaixo resume a ferramenta que pode ser utilizada por empresas de todos os tamanhos e inseridas em quaisquer mercados.

Fonte Imagem: Blog PEGG

Então, agora que você já conhece o gráfico, vamos entender cada uma das 5 Forças de Porter:

  • Rivalidade entre os concorrentes

Fique bastante atento para os concorrentes, pois um determinado segmento deixa de ser atraente quando já possui concorrentes poderosos, agressivos ou numerosos. Se for um segmento estável, passa a ser menos atraente ainda, já que os investimentos para se obter retorno serão altíssimos. Neste tipo de segmento, você invariavelmente terá que fazer guerra de preços com seus concorrentes ou terá que  investir alto em propaganda e lançamento de novos produtos. Será que vale a pena?

É importante você avaliar os seguintes pontos: Número de concorrentes e quotas de mercado;Taxa de crescimento da indústria/comércio; Diversidade de concorrentes; Nível de publicidade e  Grau de diferenciação dos produtos;

  • Ameaça de novos Entrantes

A atratividade de um segmento varia de acordo com as barreiras de entrada e saída de empresas deste segmento. O mais atraente é aquele em que as barreiras de entrada são grandes e as de saída são pequenas (poucas empresas novas entram no segmento e as de fraco desempenho saem facilmente). Já quando as barreiras de entrada e de saída são altas, o potencial de lucro é elevado. Porém, quando as empresas entram e saem do segmento facilmente, os retornos são estáveis e baixos. E finalmente, o pior segmento é quando as empresas entram com facilidade nos períodos bons, mas tem dificuldade para saírem nos períodos ruins, neste caso os ganhos são achatados para todos.

É importante você avaliar os seguintes pontos: A existência de barreiras de entrada (patentes, direitos, incentivos etc.); Acesso aos canais de distribuição; Diferenciação dos produtos; Exigências de capital e Políticas Governamentais.

  • Ameaças de Produtos Substitutos

Aqui você precisa ficar atento às tendências de produtos do segmento em que você atua, e não se esqueça de monitorar os concorrente indiretos também, ou seja, aqueles produtos que não concorrem diretamente com você por ser de categoria diferente, mas que podem roubar seu cliente. Sempre que houver substitutos reais ou potenciais, este segmento não é atraente.

É importante você avaliar os seguintes pontos: Relação preço/rendimento; nível de diferenciação do produto; Poder de barganha do comprador; Qualidade do produto.

  • Poder de Barganha dos Clientes

Um cliente tem poder de barganha alto, quando seu poder de negociação aumenta e consequentemente consegue faz com que os preços caiam. Os grandes varejistas como Lojas Americanas, Wal-Mart entre outros possuem este poder, porém este poder não está nas mão apenas destes gigantes. Recentemente surgiu uma febre na internet que deu este poder de barganha para os consumidores pessoa física: são os sites de compras coletivas. Consumidores estão cada vez mais utilizando desta ferramenta para consumir. Fique atento e veja se não vale a pena anunciar em um deles.

É importante você avaliar os seguintes pontos: Preço da compra total; Disponibilidade de informação do comprador em relação ao produto e Existência de produtos substitutos.

  • Poder de Barganha do Concorrentes

Em contrapartida à força descrita anteriormente, se ao invés de compradores de grandes redes varejistas se organizarem, os fornecedores se organizarem, o poder de barganha migra da mão do consumidor para a mão do fornecedor. Por exemplo, a gasolina que colocamos em nossos veículos é distribuída por postos de gasolina de várias bandeira, porém no Brasil só existe um fornecedor de combustível para os postos. Então todo o poder de negociação está na mão do fornecedor. Antes de entrar em determinado segmento, conheça os fornecedores e veja se existe mobilidade entre eles. O custo de mudança de fornecedor é muito alto ou você consegue fazer esta transição com certa facilidade?

É importante você avaliar os seguintes pontos: Grau de diferenciação dos insumos; Custo dos fatores de produção em relação ao preço de venda do produto; Ameaça de transmitir integração dos fornecedores em relação à ameaça de integração por outras empresas; Ter somente um fornecedor para a empresa pode ser um ponto fraco, caso o fornecedor venha a falir ou mesmo a elevar os preços de matérias-primas muito maior em relação a concorrência.

Referências:

  • Kottler, Philip & Keller,  Kelvin Lane (2006)
  • Wikipedia

Até o próximo post.

Cristina Brasão

Anúncios

Obrigada por comentar o Blog PEGG!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: